Ao pó voltaremos

A diferença entre o achocolatado, o chocolate em pó e o cacau em pó

Na gôndola do supermercado lá estão, lado a lado, três opções de pós de cacau: achocolatado, chocolate em pó e cacau em pó. Qual deles, afinal, é o mais indicado para preparar aquele tão desejado brigadeiro? Para responder a essa pergunta temos que primeiro entender a diferença entre eles, que não fica muito clara para o consumidor na hora da compra. Tanto o achocolatado quando o chocolate em pó são derivações do cacau em pó. Complicou? Explico.

O achocolatado – aquele da vaquinha, do coelho, da nome que rima com cacau – é um preparado que leva, entre outros muitos ingredientes, cacau em pó. Ele costuma conter, no máximo, 12% de cacau. O restante geralmente é açúcar (muito açúcar), leite em pó, aromatizantes, corantes e sabe-se lá o que mais. Se a ideia é fazer um brigadeiro menos doce, com cor e sabor de chocolate, o achocolatado, sozinho, definitivamente não é a melhor opção.

O chocolate em pó também é um achocolatado, só que com mais cacau. Tecnicamente ele não poderia ser chamado de chocolate em pó, pois não passa de um achocolatado concentrado. Enquanto o primeiro leva em torno de 12% de cacau em sua fórmula, o chamado chocolate em pó pode conter de 32% a 50% de cacau. Normalmente o fabricante estampa esses valores no rótulo, pois ele supõe ser uma informação que agrega valor ao produto. O restante dos ingredientes será também açúcar, e os demais componentes encontrados no achocolatado.

Tanto o achocolatado quando o chocolate em pó são derivações do cacau em pó. Dos três, o cacau em pó é sem dúvida  o menos processado e tem a vantagem de não conter açúcar, sendo, portanto, a escolha mais indicada para preparações menos doces e com sabor mais intenso de cacau. Mas atenção: apesar de ser vendido como 100% cacau, ele não é tão integral como fazem crer seus fabricantes, pois a manteiga de cacau, é total ou parcialmente extraída durante a sua fabricação. As sementes de cacau torradas são prensadas para a retirada da manteiga de cacau, que é o ingrediente mais caro, largamente utilizada na fabricação de cosméticos. O que fica é a chamada “torta de cacau”, ou seja, um subproduto da amêndoa que, alcalinizado e pulverizado, se transforma em pó.

 Se é para sentir o sabor de chocolate na receita, penso que a melhor opção é usar chocolate em barra artesanal. Foi essa conclusão que nos fez investir no desenvolvimento de um chocolate puro de origem para fazer brigadeiro. Ele é um pó integral, sem conservantes, que preserva toda a manteiga de cacau da amêndoa e é feito com um cacau fino de aroma, de alta qualidade, o que garante um sabor intenso e aromático de chocolate a qualquer preparação. Vale a pena provar.

 Colher-bambu2

4 comentários em “Ao pó voltaremos

  1. Estou amando o seu conteúdo Juliana. Vê-se de longe que tem o dom do jornalismo, pois escreve de maneira clara e simples por mais que o conteúdo seja de um padrão mais técnico. Sempre de parabéns! Estou louca para experimentar esse “chocolate puro de origem”, atualmente uso o 50%, mas confesso que já fiquei doida para mudar… Já fiz testes com o chocolate em barra, mas achei que cristaliza mais rápido, então voltei para o pó.
    Para finalizar o comentário, tenha a certeza de que serei uma visitante assídua aqui! Beijo, e muito mais sucesso pra ti menina, vc é 10!

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s