Arsenal do brigadeiro – itens que fazem a diferença

Veja quais utensílios e equipamentos não podem faltar no preparo de um bom brigadeiro.

A panela

Panela velha, tipo aquela de teflon que foi forçosamente aposentada na casa de praia, não faz brigadeiro bom. Aquela outra, de inox, carcomidinha, que sua mãe tem dó de jogar fora porque é de inox, tampouco é a mais indicada. Se a ideia é ter o melhor brigadeiro, escolha uma panela à altura: pesada, com fundo grosso, lustrosa… Na Maria Brigadeiro, usamos as de ferro fundido (que substituem os antigos tachos de cobre – proibidos pela vigilância sanitária) e as de alumínio, que também têm uma boa distribuição de calor. Se a panela for de material muito fininho, o brigadeiro queima ou fica com aquele gosto de chama de fogão, sabe? Outra dica, quase supersticiosa, é reservar uma panela só para fazer brigadeiro. Conhecendo bem a panela, é mais fácil saber quanto tempo a massa vai ficar no fogo e o ponto certo do brigadeiro. Além disso, a panela vai ficar com um aroma permanente de chocolate. Delícia!

A colher

Adoro as de pau, mas elas também foram proibidas nas cozinhas industriais. O pior é que ninguém inventou nada melhor para mexer uma massa quente de brigadeiro. O jeito é a contravenção. Aproveite que a vigilância sanitária não visita a sua cozinha e desça a colher de pau no brigadeiro. Com gosto.

O fogão

Fogo de brigadeiro é baixo, para que a massa não grude no fundo da panela, nem se formem cristais de açúcar. Cuidado com a boca do fogão: a dica é escolher uma conforme o tamanho da panela. Se ela for muito pequena, e a circunferência da chama muito grande, o risco de queimar é grande. Já se for muito pequena, e a panela grande, não haverá uma distribuição de calor suficiente, e o brigadeiro vai ficar muito mais tempo na panela – o que nem sempre é um problema, se você não tiver pressa, no modo slow-cooking…

Paciência

Quando eu era pequena, a coisa que mais me deixava feliz, depois de não ter que ir à escola, era ajudar minha mãe a confeitar brigadeiros em dias de festa. Mergulhava os dedos naquele prato fundo de granulado até cobrir todas as bo- linhas de chocolate. E, lá do fogão, ela sempre recomendava: “Nega, não deixe nenhum brigadeiro careca”. Até hoje, quando vejo uma pessoa com entradas na cabeça, me dá uma vontade inconsciente de cobrir a falha com granulado.

O recipiente

Quando tiro o brigadeiro da panela, gosto de transferi-lo para uma vasilha untada com uma boa manteiga. Isso impede que ele continue cozinhando e passe do ponto.

Microondas, vale?

Nunca consegui fazer brigadeiro no microondas. Tentei algumas vezes durante crises agudas de TPM, mas o resultado é sempre ainda mais irritante: ele transborda e gruda em todas as partes do forno. Mas se você se entende com a máquina e acha que o sabor fica igual ao do doce feito no fogão, aproveite, pois ela faz dois brigadeiros no tempo de um de panela.

Posso congelar brigadeiro?

Sobrou brigadeiro da festa? Congele. Ele dura até dois meses sob refrigeração. Acomode os docinhos em uma vasilha e tampe. Quando for consumir, é só retirar do freezer com pelo menos uma hora de antecedência para que volte à temperatura ambiente. Claro que não é igual ao brigadeiro fresco, feito na hora, mas quebra o galho. O único inconveniente do brigadeiro congelado é que ele fica mais úmido que o fresco, e o chocolate perde o brilho. Nenhum problema, se for para comer com as amigas numa sessão especial de Sex and the city.

Colher-bambu2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s