Em busca do chocolate perdido

Fui criança nos anos 80 e naquela década o chocolate tinha uma nota sublime: de infância.

Cresci uma chocólatra nostálgica, sempre em busca daquele paladar perdido. Sou tão saudosa daqueles tempos, que até coleciono, secretamente, embalagens de chocolates antigos.

Tudo começou numa tarde de sol, sem qualquer previsão de chuva, quando descobri meia dúzia de guarda-chuvas de chocolate – lembra dele? numa banca de doces no ponto de ônibus. A polícia passou recolhendo tudo e por pouco não me leva junto. A boa notícia é que deu tempo de colocar meu achado na bolsa e minha ficha continua limpa.

Gostei da coisa. Na semana seguinte lá estava eu vasculhando animada a seção de doces do mercadinho perto de casa. Quase fui ás lágrimas quando reencontrei aquelas moedas de “ouro” de  chocolate da Pan, com piratas caolhos na embalagem. Eram as mesmas moedas que meu pai escondia na vila no dia do nosso aniversário, numa caça ao tesouro digna dos Goonies.

Tenho guardadas amostras do Kri, do Lollo, do Surpresa, do Diplomata e de um bocado de guloseimas que causaram as cáries mais felizes da minha infância, como a bala Soft, que parava na garganta e quase asfixiou metade da população infantil dos anos 1980; dos dadinhos Dizioli; do Diplik, aquele pirulito anunciado pelo Bozo, que a gente babava e depois molhava no pozinho. Apesar de ser alérgica a tabaco, guardo com carinho o “maço” de cigarrinhos de chocolate garimpado na feira de antiguidades do Bixiga.

Alguns desses doces do passado foram até reeditados pelos fabricantes, mas por mais que se procure, não se acha mais neles aquela saudosa nota de infância. Vou contar aqui um segredo: às vezes, com sorte, esses sabores do passado visitam minha cozinha – e não estou falando de mesa branca ou do jogo do copo. Isso acontece, por exemplo, quando preparo esta versão caseira de milkbar (o bom e velho lollo) da tia Shirlei. É o que se pode chamar de “regressão gustativa”.

Lollo da tia Shirlei
Rende: 30 unidades

Ingredientes

  • 2 xícaras (chá) de leite em pó integral instantâneo
  • 1 xícara (chá) de chocolate em pó
  • 1  lata de leite condensado
  • 1 colher (sopa) de glicose de milho
  • 2 colheres (sopa) de manteiga sem sal derretida
  • 1 gota de extrato  puro de baunilha
  • 1/2 kg de chocolate ao leite para banhar

Modo de fazer

Coloque todos os ingredientes numa vasilha e misture bem, primeiro com uma colher e depois com as mãos, até obter uma massa lisa (nota da tia Shirlei: a massa deve ficar macia, se ficar seca, adicione 2 ou mais colheres de leite comum). Forre uma superfície de trabalho com filme plástico, coloque s a massa e  cubra com o filme. Abra com o rolo, até obter uma espessura de 2cm. Corte a massa em retângulos iguais, distribua sobre uma fôrma forrada com  papel manteiga e leve à geladeira por 40 minutos ou até endurecer. Quando atingirem a textura desejada, banhe os retângulos no chocolate derretido e volte à geladeira para secarem. Sirva em seguida.

mariabrigadeiro.com.br

Um comentário em “Em busca do chocolate perdido

  1. Aaaaaa meu Deus!eu moro no Uruguai faz 30 anos…mais choro cada ves que me lembro da Bala Soft!Linda minha familia mora no Brasil ,minha avo Aradi me esperaba com brigadeiros sempre.Agora eu vendo brigadeiros so pra ver o sorriso na cara da gente …o mesmo que ela fazia cuando era crianca

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s